Carta para o Papai Noel – Prontas, exemplos, Natal

Umas das lendas que perdura até hoje para a criançada, mesmo com todo a advento da tecnologia, é a do Papai Noel. O Papai Noel é um dos maiores símbolos do Natal, basta que uma criança veja um que os olhinhos delas brilham, é realmente algo mágico, encantador e saudável para elas.

Diversos especialistas recomendam que se mantenha essa fantasia pincipalmente nos primeiros anos da infância, pois estimula a capacidade de fantasiar, imaginar, aguçando a criatividade, o que é de extrema importância para a formação infantil.

Uma das tradições natalinas é enviar cartinhas com todos os pedidos de Natal, para o bom velhinho.  As crianças gostam de enviar cartas para o Papai Noel, pedindo seus brinquedos mais desejados, caprichando na decoração, usando papeis especiais e canetinhas coloridas. Historicamente cartas para Santos sempre foram mandadas, desde da antiguidade, mas logicamente, nunca eram respondidas. Foi apenas a partir do século 19 que se criou no mundo o hábito de se mandar cartas para o Papai Noel, essa tradição começou na Finlândia e se espalhou para todo o mundo.

Carta para o Papai Noel - Prontas, exemplos, NatalO ato de mandar cartas para o Papai Noel não estimula apenas o consumismo de comprar presentes, pelo contrário, muitas crianças realmente mudam o comportamento dependendo da resposta que recebem do “Papai Noel”, além do cunho familiar e amoroso que esse ato representa, para diversas famílias no mundo, esse é o momento de maior união durante o ano, com a troca de presentes e de carinho.

Modelos de cartinhas para Papai Noel

No Brasil, os correios adotaram oficialmente um programa de cartas endereçadas ao Papai Noel apenas em 2001, quando os próprios funcionários da agencia passaram a ser treinados para responder as cartas da criançada.

O número de mensagens impressiona, em 2008, as cartas para o bom velhinho representaram quase a metade de todo o material recebido pelos Correios. Dá para ver a importância e a relevância que esse ato tem até hoje, ainda mais porque escrever uma carta parece ser uma coisa tão antiga, é legal a criançada podendo resgatar isso.

Uma outra história interessante de como pode ter surgido o hábito de mandar cartas para o Papai Noel aconteceu em Nova York, no ano de 1897. Tinha uma menina chamada Virginia O’Hanlon que não queria acreditar no bom velhinho e escreveu uma carta para um jornal local, perguntando da sua existência, o pai da Virginia brincou com ela, ele disse que se o jornal publicasse a notícia, é porque ele existia. Aqui está a carta escrita por Virginia, que tinha apenas 8 anos na época.

– Querido editor, eu tenho 8 anos de idade e alguns dos meus amigos dizem que o Papai Noel não existe, me diga a verdade, ele existe?

Resposta do jornal:

“Virginia, os seus amigos estão errados, eles estão afetados pelo ceticismo, vivemos uma época muito cética. Sim Virginia, Papai Noel existe, tanto como o amor, a generosidade e a devoção.

Alguns pesquisadores em Papai Noel dizem que a partir daí surgiu a tradição de mandar cartas, interessante, não acham.

 

    


Um comentário

  1. querido Papai Noel aqui é Maria Eduarda tenho 11 anos venho Pedir para que o senhor dá um presente para mim meus três irmão eu queria uma cesta de natal para mim passar com a minha família pois eu nunca passei Natal natal bem passei nos outros natais eu passei dormindo porque a minha mãe está desempregada e não tenho condições de comprar para fazer a ceia de natal por favor realiza esse sonho de passar Natal na nossa casinha com a minha mãe e meus irmãos não quero passar na casa dos outros Deus abençoe

Deixe um Comentário: